domingo, setembro 17, 2006

ainda há um resto de sal
partículas de temporal
e lábios sedentos
e beijos não dados
e mãos apertadas em oração

pelo chão, palavras cortadas
misturas às notas cansadas daquela canção

há o copo vazio
há os cacos de um corpo

ecos velados nas vozes de adeus

2 comentários:

Clá disse...

Rita, meu amore!

Eu amei muito esse poema...

Me identifiquei um monte com ele... sobre a minha história com aquele carinha super idealizado..lembra q te contei?

Muito lindo!!

beijocas

Julia disse...

Sal e boca e' perfeito.