sexta-feira, dezembro 15, 2006

Chega com gosto de segredo
E fala despacito e sem medo
Como vento de noite quente
Toma tudo sem aviso
Riso solto de perigo
Em curvas de infinito
Os olhos de precipício
Imprevisíveis
Imprevisto

2 comentários:

bomqueiroz disse...

Hmmm...
Mas tu tá muito fronteiriça.

Rita disse...

Eu sou, che... só disfarço bem.