quinta-feira, março 29, 2007

e eu que procurava por ti tão longe
te encontro de repente
correndo em cachos
espalhando guizos e gritos
colorindo a casa de calcinhas
é teu riso que me faz palavra
são teus olhos que me trazem sonho
no meu colo, quando adormeces,
embalo-me em cantos que não sei dizer
teu pranto, o primeiro e todos os outros,
me acordam praquilo que chamam de paraíso.

Filha, poesia, quem és tu?
como cresceste fora de mim enquanto eu nem via?

meu susto, meu quinhão do mais puro espanto
minha sempre espera por reconhecer-me
minha sempre alegria de reconhecer-te
criação

7 comentários:

Val disse...

Encontraste tua musa! ;)
Bjs!!!

Luisa disse...

CHOREI

bomqueiroz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
QVINTVS FABIVS PICTOR disse...

Rita, dei pela sua falta na minha lista de amigos no orkut. Você suicidou o seu perfil? Acaso ainda estas lá no Orkut? E como vais? Beijinho.

Fer disse...

Sora, lindo teu blog, amei mesmo!
Escreves muito bem sabia?!
Se quiser dá uma passadinha lá no meu, escrevo algumas coisinhas também nada assim tão profundo...hehehe Mas escrevo!
Bjuss

Rita disse...

Val... minha musa é mesmo perfeita! E ela tem medo do escuro agora, pode?

Lu... eu também, várias vezes!

Fábio, querido amigo, voltei ao orkut depois de me ausentar por um tempo. me adiciona? Tá tudo na mesma: muito bom!

Fer, prometo que vou ler seu blog no final de semana e deixarei comentários. Que bom que me visitou!

Val disse...

Querida Ruiva Poética
Saudade de seus poemas amiga querida!
Onde está você?
Bjs enormes pra ti!